quinta-feira, 17 de abril de 2014

PMs ganham revisão de código de ética e gratificação cresce

As associações de policiais militares envolvidas na greve de quase 48 horas avaliaram como um "bom termo" os "ganhos" obtidos nas negociações com o governo baiano. Segundo as entidade, as rodadas foram "tensas" durante esses três dias, que englobam a noite de terça-feira (15/04) até esta quinta-feira (17/04). Na posição do governo, a mobilização, aderida principalmente por praças, não trouxe grandes mudanças na proposta que já tinha sido apresentada pelo Estado no Plano de Modernização da Polícia Militar, mas ocorreram "consensos" entre as partes.

"Os pontos de consenso estão em um documento assinado por dirigentes de seis associações representativas da categoria, o comandante-geral da PM, coronel Alfredo Castro, e o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa", afirma o governo. No período da paralisação, a capital baiana e região metropolitana registrou 39 homicídios, uma média de 20 por dia - que ainda pode aumentar no último balanço-, e mais de 60 carros roubados.


Conheça o resultado nas negociações:

1. Gratificação por Condições Especiais de Trabalho (CET): aumento dos praças na proporção de 25% para as funções administrativas, 45% para as operacionais, 65% para os motoristas e Regime de Tempo Integral (RTI) para os oficiais, com atualização da lei. O ponto foi negociado em reunião que aconteceu antes da primeira assembleia que deflagrou a greve. Na ocasião, o comandante-geral da PM, coronel Alfredo Castro, afirmou como diferença que o reajuste para os motoristas seria de 60%, e ficou em 65%.

2. Código de Ética: retirada para nova discussão da proposta e rediscussão das propostas do Estatuto e Plano de Carreira. As associações consideravam o atual código obsoleto e o governo já tinha garantido a reavaliação das questões que não satisfaziam a categoria. Com a greve, o código foi retirado do plano. As entidades de PMs querem que Estatuto seja encaminhado com "máxima urgência" para votação na Assembleia Legislativa da Bahia.

3. "Anistia": rever os processos administrativos e disciplinares referentes à mobilização de 2012;  as associações pedem a suspensão de "quaisquer procedimentos que visam a apurar as faltas administrativas que não se constituem crimes decorrentes da paralisação de 2014". O governo afirmou nesta quinta-feira, no entanto, que não abre mão das punições daqueles que cometeram "excessos".
4. Estatuto dos PMs: regulamentar o artigo 92 nas bases a serem negociadas com o Governo do Estado, Associações e PM. O artigo trata dos auxílios alimentação, funeral, fardamento para alunos em formação, transporte e bagagem.

Além desses pontos, as associações citam ainda um último, que seria "manter as conquistas já anunciadas pelo governo". Em uma das pautas apresentadas por policiais, eram pedidas ainda a transferência da Gratificação da Atividade Policial (GAP) para o soldo (como se chama o salário da categoria), de modo que a gratificação fosse paga incorporada ao subsídio mensal e não em parcelas. O pagamento integral e imediato, como pedido, não foi cedido pelo governo. Na quarta, Marco Prisco, vereador que lidera o movimento, afirmou que este era o principal ponto para o fim da paralisação. 

Segundo o coronel Castro, comandante da corporação, o reajuste nas Condições Especiais de Trabalho (CET) foi revisto. "O que mudou foram as condições das propostas no que diz respeito aos índices. Tivemos uma proposta feita anteriormente sem o índice de CET e nós colocamos agora o índice de CET. Também estamos colocando a retirada de sanção disciplinar, as faltas leves administrativas durante esse período de greve", disse o oficial. O governo explica que a CET é uma gratificação que atualmente vigora para oficiais e que os grevistas pedem que se estenda a todos do efetivo policial.

Policiais militares decidem encerrar a greve na Bahia

Os policiais militares da Bahia decidiram encerrar a greve deflagrada no início da noite da última terça (15/04). O coordenador-geral da Aspra, Marco Prisco, apresentou os itens da contra-proposta elaborada pelo Governo do estado, em assembleia realizada no Wet'n Wild, na tarde desta quinta-feira (17/04), e perguntou aos policiais se eles aprovavam. A maioria levantou as mãos, em sinal de que aprovava o fim da paralisação. 
A contra-proposta do Governo foi elaborada durante a madrugada e apresentada aos líderes dos grevistas pelo coronel da Polícia Militar Alfredo Castro na manhã desta quinta (17), no Quartel do Comando Geral da Polícia, nos Aflitos. O arcebispo-primaz do Brasil, dom Murilo Krieger, foi convidado para participar da reunião e abençoou o acordo. 
A categoria, que reúne pelo menos 34 mil homens na ativa no estado, reivindicava melhoria salarial, mudanças na política remunerativa, plano de carreira, acesso único ao quadro de oficiais, um Código de Ética, aposentadoria com 25 anos de serviço para a Polícia Feminina, aumento do efetivo, bacharelado em Direito para os oficiais, além de elevação de toda a tropa para o nível superior entre 2014 e 2018.
A assembleia desta quinta contou com as diversas associações da categoria, como a Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), a Associação de Praças da Polícia Militar do Estado da Bahia (APPM-BA) e a Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (Força Invicta).

REUNIÃO - Uma reunião entre o Arcebispo deSalvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, o coronel da Polícia Militar Alfredo Castro, representante do governo, e lideranças de associações da PM foi realizada na manhã desta quinta-feira (17), no Largo dos Aflitos, em Salvador. Durante o encontro, uma contraproposta foi apresentada pelo coronel e um documento foi elaborado pelas lideranças para ser submetido ao crivo da categoria em assembleia no Wet'n Wild, na Avenida Paralela.

De acordo com a Arquidiocese de Salvador, Dom Murilo foi chamado para abençoar o acordo dos policiais militares com o Comando Geral da PM. Após o encontro, Dom Murilo disse que espera "boas notícias da assembleia". "Eu vim mais para rezar pelos policiais que morreram. Foram feitas algumas avaliações e estamos no aguardo de boas notícias", disse.

Segundo o coronel Alfredo Castro, o reajuste nas Condições Especiais de Trabalho (CET), um dos principais pontos de divergência entre governo e grevistas, foi revisto.

"O que mudou foram as condições das propostas no que diz respeito aos índices. Nós tivemos uma proposta feita anteriormente sem o índice de CET e nós colocamos agora o índice de CET. Também estamos colocando a retirada de sanção disciplinar, as faltas leves administrativas durante esse período de greve", disse o coronel. O governo explica que a CET é uma gratificação que atualmente vigora para oficiais e que os grevistas pedem que se estenda a todos do efetivo policial.


Informações e fotoS do CORREIO 24 HORAS E do Bocão News  

Paródia de 'Raiz de Todo Bem' domina redes sociais com versão da greve; ouça

Depois de compartilharem diversas piadas na internet sobre a greve da Polícia Militar na Bahia, internautas divulgam agora uma paródia da música 'Raiz de Todo Bem', em rede social. Uma montagem com uma foto do artista durante o Carnaval deste ano, também circulas pelos grupos de Whatsapp.

O hit original, sucesso na voz do cantor Saulo Fernandes, ganhou uma versão especial sobre o assunto que domina o estado deste a terça-feira (15). Ouça a música e veja a letra abaixo: 


"Salvador, Bahia, território iraquiano
Com medo tô eu, tá você, tamos nós, a PM parou
Oxente, cê num tá vendo,
que a gente é nordeste, 
tiro pra peste cadê a galera da Rondesp?
Que dureza, 
segure a sua carteira, 
não dê bobeira, 
até já fecharam a Igreja do Senhor do Bonfim, 
pra nós cidadão tá ruim
E o povo com medo,
a polícia parou, 
e a copa chegou

Refrão
A PM parooou, 
não quero copa nesse país, 
não venha me fazer de mané, 
segurança que a gente quer

A PM parooou, 
não quero copa nesse país, 
não venha me fazer de mané, 
saúde e educação que a gente quer
"

Micareta será suspensa se greve da PM continuar até as 18h de hoje

A Micareta 2014, programada para 24 a 27 deste mês, somente será suspensa caso a greve da Polícia Militar, deflagrada na terça-feira, 15, à noite, seja mantida até as 18h desta quinta-feira, 17. A decisão foi tomada por unanimidade, em reunião entre representantes dos segmentos envolvidos diretamente com a promoção do evento, na Sala de Imprensa Arnold Silva, do Centro de Atendimento ao Feirense (Ceaf).

A reunião extraordinária foi convocada pelo prefeito José Ronaldo de Carvalho, atendendo reivindicação de representantes de trios, blocos, empresas de estruturas e de entidades do comércio e de comerciários, durante audiência na noite de quarta-feira, 16.

Todos os envolvidos na promoção do evento decidiram por aguardar até as 18h em função da possibilidade da greve da PM ser suspensa a qualquer momento, já que a categoria estaria avaliando as propostas às reivindicações.

O prefeito José Ronaldo explicou que caso o movimento grevista seja suspenso, a Micareta será mantida dentro da programação. E informou que a estrutura fornecida pela Prefeitura já está praticamente pronta e dentro do previsto. “Se a greve acabar, faremos a Micareta. Mas se a greve passar de hoje, sabemos que vocês serão prejudicados. A festa é do povo”, frisou.

Caso a greve da PM seja mantida, automaticamente estará convocada uma nova reunião dos representantes dos diversos segmentos organizados ligados à promoção da festa, para a próxima quarta-feira, 23, para definir uma nova data para o evento.

Durante a reunião estiveram presentes o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Jailton Batista; de Governo, Paulo Aquino; o de Administração, João Marinho Gomes Júnior; e de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Borges Júnior; o presidente da Câmara, Justiniano França; e o vereador Carlito do Peixe.

Prisco afirma que greve da PM pode acabar em algumas horas

Uma reunião realizada na manhã desta quinta-feira (17/04), na Câmara de Dirigentes Lojistas de Salvador (CDL), pode decidir os rumos da greve da Polícia Militar.

O presidente da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), Marco Prisco, afirmou que a greve poderia ser finalizada em algumas horas, durante entrevista a uma rádio local.

O Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, participa da reunião. De acordo com a Arquidiocese, Dom Murilo foi chamada para abençoar o acordo dos policiais militares com o Comando Geral da PM.


Justiça determina fim da greve da PM sob pena de multa diária de mais de R$1 milhão

Uma liminar concedida pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), em Brasília, determina o fim imediato da greve dos policiais e bombeiros militares da Bahia sob pena de pagamento de multa diária de R$ 1,4 milhões de reais. Além da decisão, a Justiça também ordenou o bloqueio dos bens do vereador Marcos Prisco, líder da Associação dos Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (Aspra).
A multa deverá ser paga por 14 réus da ação do Ministério Público Federal da Bahia (MPF-BA) - além de Marcos Prisco e da Aspra, são citadas as Associação de Praças da Polícia Militar da Bahia (APPM/BA), Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (AOPM/BA - Força Invicta), Associação dos Oficiais Auxiliares da Polícia Militar do Estado da Bahia (AOAPM/BA), Associação dos Subtenentes, Sargentos e Oficiais da Polícia Militar Da Bahia – (ABSSO/BA), Associação dos Bombeiros Militares da Bahia (Associação Dois de Julho/Ba), Jackson da Silva Carvalho, presidente da ABSSO/BA, Agnaldo Pinto de Sousa, presidente da APPM/BA, Edmilson Tavares Santos, presidente da AOPM/BA - Força Invicta, José Alberto da Silva, diretor financeiro da AOAPM/BA, Nelzito Coelho Oliveira Filho, presidente da Associação Dois de Julho/BA, Ubiracy Vieirados Santos, presidente da AOAPM/BA e Paulo Sérgio Simões Ribeiro, diretor financeiro da AOPM/BA - Força Invicta.


A decisão foi tomada na tarda da quarta-feira (16), depois de que foi decretada a ilegalidade da greve dos PMs. O bloqueio de bens visa garantir o ressarcimento dos prejuízos causados aos cofres públicos, a exemplo do uso da Força Nacional de Segurança Pública para o estado. 

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Polícia Civil registra 16 assassinatos em Feira de Santana

Até as 19 horas desta quarta-feira (16/04), primeiro dia da greve dos Policiais Militares, a policia civil, já havia registrado 16 assassinatos na cidade, entre eles a morte de um PM e dois autos de resistência (morte em troca de tiros com a polícia). Os crimes ocorreram no Centro da Cidade; Barroquinha; Avenida José Falcão da Silva, Distrito de São José, Rua Nova, Rua de Aurora (Centro), Senador Quintino, Conjunto Feira VII.

Entre as vítimas está o policial militar Tiago Maciel, de 35 anos, que trabalhava como fisioterapeuta no programa de Ecoterapia da corporação. A vítima estava indo fazer um atendimento, acompanhado de uma policial militar, quando quatro homens, que estavam em um veículo Vectra preto, o reconheceram como policial e deflagraram vários tiros.

Israel Barbosa dos Santos foi assassinado no interior de um carro na Avenida José Falcão. Segundo informações, ele estava fazendo o transporte irregular de passageiros, conhecido como Ligeirinho, em um veículo Celta, quando foi alvejado. A autoria dos disparos é desconhecida.

Outra vitima foi Carlos Alberto de Souza Filho, 29 anos, foi assassinado a tiros na manhã de hoje na Rua Hamilton Cohim, no bairro Barroquinha, em Feira de Santana. Ele era morador da Rua Cordeiro, bairro Jardim Santana.

De acordo com testemunhas, a vítima tentou assaltar um homem que estava dentro de um veículo, quando dois homens armados viram a ação e tentaram impedir o suspeito de praticar o crime. Houve troca de tiros, e o acusado foi alvejado.

Edvan Araújo Henrique, de 25 anos foi assassinado com vários tiros por volta de 11h desta quarta-feira (16), no cruzamento da Rua Carlos Valadares com a Rua São José, no centro da cidade.

De acordo com o delegado João Rodrigo Uzzum, da Delegacia de Homicídios, há informações de que ele estava em uma moto em companhia de um comparsa.

A suspeita é de que juntos eles estavam tentando praticar assaltos, quando um homem de identidade não revelada sacou uma arma e deflagrou tiros contra os dois.

Outro crime aconteceu por volta das 11h, onde um homem ainda sem identificação foi assassinado a tiros na rua Amílton Cohim, no bairro Barroquinha, em Feira de Santana.  Segundo informações apuradas, homens armados teriam perseguido a vítima deflagrando vários tiros, acertando a nuca e tórax. Ele não resistiu e morreu sentado.

O motorista de transporte clandestino, Ozael dos Santos Barbosa, conhecido como “Ozai” foi assassinado, por volta de 11h 10 no interior do seu veículo Celta, cor prata, placa policial ENY-2684. O crime aconteceu na avenida José Falcão.

Segundo a polícia, dois homens montados em uma motocicleta se aproximaram do veiculo da vitima e o carona deflagrou vários tiros de pistola calibre ponto 40, acertando todos na cabeça. Ozai residia no bairro George Américo.

Dois homens acusados de tomar de assalto um ciclomotor Shineray, foram mortos por um homem armado que presenciou o crime, no inicio desta tarde, por volta de 12h40. Thiago de Jesus Conceição, 21 anos, e o seu comparsa ainda não identificado, morreram na hora com vários tiros.  O crime aconteceu na rua Senador Quintino próximo ao bairro Eucalipto.


Quatros homens ainda desconhecidos pela polícia, a bordos de um veiculo Gol de cor branca e demais dados ignorados, são acusados de matarem duas pessoas na cidade no período de uma hora. Os crimes ocorreram na localidade de Agrovila, no bairro Mangabeira e no Eucalipto. Sendo que na Agrovila os criminosos atiraram em um grupo de pessoas, cindo delas foram baleadas. Uma não resistiu e morreu no local, enquanto quatro foram socorridas para o Hospital Geral Cleriston Andrade (HGCA).

A vitima que não resistiu aos tiros morrendo no local foi identificada como, Lucas Santos Lopes, 19 anos, que residia na rua C, na localidade da Agrovilla. Entre os baleados, Matheus Santos Lopes,17 anos, irmão de Lucas foi atingido por três tiros e socorrido ao HGCA com as outras três vítimas.  O estado de saúde das vítimas não foi informado. 

João Paulo Lopes de Oliveira foi assassinado na rua Potiraguá, no bairro Eucalipto. Segundo testemunhas, quatro homens armados em um veículo Gol, cor branco, com as mesmas características do veiculo que tocou terror na Agrovila passaram atirando também no Eucalipto. Os disparos atingiram João Paulo que, não resistiu e morreu no local.

Lucas Santana Lopes, 19 anos, foi assassinado com vários tiros, na Rua A, na Agrovila, bairro Mangabeira. Cerca de dez homens em dois carros efetuaram os disparos e além de Lucas, cinco pessoas foram baleadas. 

Joildo Mendonça Novais, 36 anos, que residia na Rua Cruzeiro, no distrito Maria Quitéria, foi assassinado por volta das 15h, na rua onde morava.  Segundo a polícia, dois homens em uma moto atiraram na vítima e fugiram.

Um homem ainda não identificado foi morto a tiros na Fazenda Galhardo, por volta das 14h. Os tiros atingiram rosto e braço esquerdo da vítima. Não há informações sobre os autores dos tiros.

 

Leandro Pinto Barros, 27 anos,  foi morto a tiros na Rua Belo Horizonte, no bairro Jardim Acácia.  Ele morava na Rua Paraíso, no bairro Gabriela.