terça-feira, 18 de novembro de 2014

Ex-policial acusado de matar estudante é condenado há 8 anos em regime semiaberto

Juri popular
 O ex-policial Civil, João de Melo da Silva Junior, acusado de matar o estudante Gilberto Oliveira Carvalho Junior, na Rua castro Alves, no bairro Serraria Brasil em Feira de Santana no dia 26 de Fevereiro de 2005 foi condenado há 08 anos de prisão em regime semiaberto. Ele foi julgado no final da tarde desta terça-feira (18/11), no Salão do Júri, localizado no Fórum Felinto Basto.

O Júri foi presidido pela Juíza da Vara de Execuções Penais, Lisiane Souza, tendo como promotor público, Aodo Rodrigues e o advogado Abdon Abade. O julgamento teve inicio às 9 horas da manhã e acabou por volta das 18 horas.
 
O advogado Abdon Abade relatou que pediu ao juiz para classificar o crime como homicídio culposo, já que segundo o defensor João de Melo, não tinha intenção de matar e que arma teria disparado. “sabemos sim, que ele teve a imprudência no modo de como conduziu a sua diligencia policial”.
 
O promotor de justiça, Aodo frisou que a condenação de 08 anos no regime semiaberto estava previsto, mas a pena poderia ser maior pela gravidade do fato, porem a condenação resolveu imputar uma pena mínima de 08 anos no semiaberto, que é um regime menos rigoroso do que o regime fechado. “A defesa tem cinco dias para recorrer, caso não recorra, o condenado deve cumprir a prisão imediatamente no semiaberto”, informou o promotor. O regime semiaberto é quando o condenado trabalha um turno e outro cumpre na prisão.
 
O CRIME – Gilberto foi morto com um tiro no pescoço, no final de tarde de um sábado (26/02), após se envolver numa briga e dar um murro no cunhado do policial, identificado como Murilo. João de Melo estava de folga e bebendo em um bar, armado com uma pistola, perseguiu o estudante até a rua Castro Alves, onde alcançou o estudante, que de joelhos pediu para não ser assassinado.
No dia de sua prisão, o policial alegou que o tiro foi acidental, uma vez que ao apontar a pistola para Gilberto, este fez menção de agarrá-lo pelas pernas e ao tentar se defender, escorregou e a arma disparou. “A arma já estava engatilhada, já que havia feito um disparo anteriormente, para que ele parasse de correr”, afirmou o policial em seu depoimento ao delegado Willian Achan. 
 
“A decretação da prisão do policial só demonstra que a justiça está empenhada em punir o culpado pelo crime que cometeu e que não existe corporativismo. É uma vitória para a Justiça feirense que está dando uma resposta a sociedade e confirmando todo o trabalho realizado por mim e a minha equipe para esclarecer este crime”, frisou Willian Achan.
Na época João de Melo prestou depoimento, ao Juiz Paulo Sérgio Barbosa de Oliveira Melo, no Fórum Desembargador Filinto Bastos e relatou que não teve a intenção de matar o jovem. 
 
Acompanhado de seu advogado, o afirmou que o tiro foi acidental. “O tiro foi acidental, nunca pretendia fazer isso, sou uma pessoa que não gosta de festa, nunca passei por uma situação como esta, nem quando estava a serviço. Minha intenção era prendê-lo e conduzi-lo a delegacia, mas infelizmente aconteceu o acidente”. ratificou o policial. 
 
FAMÍLIA DA VITIMA - A família de Gilberto não esteve presente no julgamento com exceção da tia dele, Jailmira Oliveira de Carvalho. Segundo ela, os familiares sabiam que a pena aplicada não seria a que a todos desejavam. 
 
“Foi injusta. Para uns existe justiça e para outros não. Se fosse o filho ou a filha de João que tivesse sido moto por Gilberto, teria sido de propósito. Todo mundo viu a morte de Gilberto. Houve a reconstituição do crime, no qual foi mostrado que foi de propósito. Ele foi lá e tirou a vida do menino que estava de joelhos. Gilberto pediu por favor não me mate, mas ele optou por tirar a vida de meu sobrinho”, lamentou.

Familiares e amigos de comerciante morto em Feira pedem justiça

Manifestação
 Familiares e amigos do comerciante Fernando Silva Purificação, que foi assassinado no ano de 2012, em Feira de Santana realizaram na manhã desta terça-feira (18/11), no centro da cidade, uma caminhada em protesto pedindo justiça, no caso.

Os manifestantes estiveram na sessão ordinária da Casa da Cidadania, desta terça pedindo ajuda aos vereadores para que o acusado do crime, Adairton de Jesus Santos, seja mantido preso no Conjunto Penal, já que Adairton conseguiu a prisão domiciliar e segundo os familiares da vitima “ele está ameaçando os familiares da vítima e testemunhas que depõem contra ele na Justiça”. 
 
A sobrinha do comerciante, Michele Machado da Purificação usou, por 10 minutos,  o microfone da Câmara, para relatar os fatos e pedir apoio. “Meu tio era um trabalhador justo e honesto. Ele era muito querido em todo o distrito e, por causa de inveja, foi morto por aquele homem. Ele é prestador de serviço da Petrobras e, enquanto estava no presídio, ocupava uma sela especial e depois conseguiu a prisão domiciliar, através de um laudo médico sem data, que consta que ele está sofrendo de insônia, hipertensão e necessita de fisioterapia da próstata”, afirmou.
O desespero e a dúvida levaram a família do comerciante a estamparem outdoors por diversos bairros da cidade, com a foto de Fernando, acompanhada de uma declaração e um apelo destinado ao poder público.
 
No mês passado, o suspeito de ser o mandante do crime foi ouvido em audiência no Fórum Desembargador Filinto Bastos, oportunidade que os familiares tiveram para realizar uma manifestação em frente ao órgão pedindo a solução do caso.
O comerciante foi morto com dois tiros na cabeça no dia 5 de março de 2012, no Conjunto Feira IV, próximo ao Condomínio Vila Olímpia, dentro do veículo que conduzia. No dia do crime, Fernando que morava no município de Pé de Serra, veio à Feira de Santana comprar mercadorias para sua panificadora e acabou sendo morto por dois homens em estavam em uma motocicleta.
 
INVEJA - Segundo a cunhada da vitima, Norma Machado da Purificação, o crime foi motivado por inveja. O acusado, conhecido em Pé de Serra apenas como Adailton, cobiçava o sucesso nos negócios de Fernando.
.
Em entrevista na última manifestação, Norma explicou que o apontado havia chegado em Pé de Serra meses antes do crime e abriu um comércio próximo ao de Fernando. Entretanto, o negócio não teve sucesso e ele passou a ter inveja da panificadora bem sucedida de Fernando e passou a espalhar boatos na cidade sobre a honra da vítima.
Dias antes do crime, Fernando havia sofrido uma tentativa de morte, mas conseguiu fugir. A família acredita que o mandante foi o autor dos tiros e, como não teve êxito, contratou outras pessoas para executar o crime.

Investigação
Meses após a morte um suspeito de atirar em Fernando foi preso pela Polícia. E Adailton, apontado como mandante, prestou depoimento em juízo no inicio do mês de outubro, mas não foi preso.

Polícia apresenta casal que transportava 350 kg de maconha e 9,5 kg de cocaína

Acusados presos
 foi preso transportando 350 kg de maconha e 9,5 kg de cocaína. Ricardo Barbosa, de 34 anos, e Priscila Carvalho dos Santos, 23, foram presos no bairro de Valéria, durante uma operação conjunta da PC por meio do Departamento de Narcóticos (Denarc) e Polícia Federal (PF). A droga apreendida é avaliada em R$ 500 mil e era transportada em uma caminhonete, informou a PC.

Ricardo e Priscila carregaram uma picape, em Irecê, distante 478 km de Salavdor, com 323 tabletes de maconha prensada e mais nove tabletes de cocaína, acondicionadas em sete sacos. Investigadores da DTE/Feira passaram a acompanhar o deslocamento do casal de traficantes a partir da cidade de João Dourado, até o bairro de Valéria, informou a Polícia.
Conduzidos para a sede da DTE, no Complexo dos Barris, Priscila e Ricardo foram autuados em flagrante por tráfico de drogas pelo delegado Omar Leal. Ricardo tem passagem pela polícia por tráfico e chegou a cumprir três anos e meio de prisão. Já Priscila foi presa em 2010, por roubo. Os dois já estão sistema prisional.

Polícia prende cinco e desarticula quadrilha em operação de combate às drogas

Denarc
 Uma operação do Departamento de Narcóticos desarticulou a quadrilha de um dos maiores traficantes do estado da Bahia. De acordo com informações da Polícia Civil, foram cumpridos cinco mandados de prisão e 19 mandados de busca e apreensão em Salvador e na Região Metropolitana.

Os alvos eram integrantes da quadrilha liderada por André de Souza Malaquias, considerado um dos maiores distribuidores de drogas no Estado da Bahia. Ainda segundo a polícia, André está preso e seguia chefiando a quadrilha de dentro do presídio.
 
Durante a operação, drogas e armas foram apreendidas pelo agentes da Denarc. A quantidade apreendida ainda não foi divulgada pela polícia. O resultado da operação está sendo apresentado na sede da Denarc, no Complexo do Barris, na manhã desta segunda-feira (17).
 
Informações do CORREIO 24 HORAS 

Ônibus tomba na BA-540 e deixa dois mortos na região de Mutuípe

Local do acidente
 Um ônibus tombou e duas pessoas morreram na madrugada deste domingo (16/11), na BA-540, proximidades da cidade de Mutuípe, a cerca de 240 km de Salvador. Segundo a polícia, o acidente deixou mais de dez passageiros feridos.

Ainda de acordo com informações policiais, o veículo transportava um grupo de amigos da cidade de Itaberaba para Valença e a ocorrência foi registrada por volta das 4h, quando o ônibus tombou em uma curva.
Os feridos foram encaminhados a hospitais da região, mas o estado de saúde deles não foi divulgado. Segundo a polícia, o motorista do veículo não foi localizado após o acidente. O caso será investigado pela Polícia Civil. 
Informações do g1 e foto: Carlos Quintino/Criativa On Line

Fim de semana tem mais de 130 acidentes com 12 mortes na Bahia

Local do acidente
 Mais de 130 acidentes foram registrados em toda Bahia neste final de semana, entre a sexta-feira (14), sábado (15) e domingo (16). Somente nas rodovias estaduais, a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) somou 33 acidentes, com 42 feridos e seis mortes.

O caso mais grave foi no domingo, quando um ônibus tombou na  BA-540, na região de Mutuípe, e deixou dois mortos e 12 feridos. As vítimas chegaram a ser arremessadas do veículo.
 
Nas rodovias federais que cortam o estado, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) contabilizou, nos três dias, 79 acidentes, com seis mortes e 67 feridos. Entre elas, está um capotamento na BR-242, que deixou um morto perto da cidade de Itaberaba.
Na capital baiana, as 21 batidas ocorridas no fim de semana deixaram seis pessoas feridas. No sábado, o vazamento de óleo de um caminhão no bairro Campo Grande fez com que dois carros batessem e que um motociclista caísse. Ninguém se feriu.
 
No mesmo dia, o motorista de um carro de passeio perdeu o controle do veículo e bateu em uma mureta na Avenida Bonocô. Ele teve ferimentos leves.
 
Informações do g1 

Pedreiro é preso suspeito de estuprar, matar e enterrar cunhada em Juazeiro

Acusado e a vitima
 Um pedreiro foi preso na sexta-feira (14/11) sob a suspeita de estuprar, matar e ocultar o corpo da cunhada em Juazeiro, norte da Bahia. De acordo com o delegado Reginaldo César, que investiga o crime, o corpo de Arlene Costa Borges, que trabalhava como garçonete e estava desaparecida desde setembro, foi encontrado enterrado no banheiro de uma residência em construção.

Wellington da Cruz Bispo, 31 anos, foi preso na cidade de Sr do Bonfim em um ônibus da São Luiz quando tentava fugir para Feira de Santana. "Através da quebra do sigilo telefônico, nós chegamos ao cunhado dela. Passamos a investigar e conseguimos um mandado de busca e apreensão na residência em que ele construía, e encontramos o corpo dela no contra piso do banheiro, na sexta-feira. A partir daí nós constatamos que ela foi estuprada e morta com vários golpes de marreta", descreve o delegado.
Segundo Reginaldo César, o suspeito é companheiro da irmã da vítima. Em depoimento à polícia, o homem confessou o crime. "Segundo ele, Arlene sabia de um amante da irmã e parece que também mantinha relações com esse amante", falou o delegado.
 
Emocionado, o pai de Arlene desabafou. “Todo mundo confiava nele. A polícia pegou ele, porque achou o número dele no celular de minha filha”, afirmou.
Ao G1, uma amiga da vítima, que prefere não se identificar, contou que o suspeito chegou a ajudar a família nas buscas pela jovem. "Está sendo horrível, a gente se desesperou. Ele ficava ajudando a procurar ela. É de uma frieza enorme. Para mim foi um choque, uma surpresa", contou. Arlene tinha 21 anos e um filho de um ano e três meses.
 
O suspeito foi encaminhado para o Conjunto Penal de Juazeiro. Ele deverá responder por estupro, homicídio qualificado e ocultação de cadáver. "Ele a estuprou quando ela estava agonizando. Ele tem um comportamento muito frio, calculista, confessa tudo com detalhes. Ele tem um perfio de psicopata", opinou o delegado. Se condenado, o suspeito pode pegar até 40 anos de prisão.
 
Informações do g1