sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Audiência sobre segurança pública em Feira de Santana é suspensa

Reunião
 Uma audiência pública, que estava marcada para acontecer na manhã desta sexta-feira (21/08), na Câmara Municipal de Feira de Santana, onde seria discutida a segurança no município, teve de ser cancelada, por falta da participação da população, que tanto reivindicou o debate e de entidades ligadas à segurança na cidade.

Representantes de todas as companhias da PM, do Comando de Policiamento Leste (CPRL), da Guarda Municipal, da Igreja Católica, de associações comunitárias e dos meios de comunicação compareceram para o debate.
 
Segundo os edis Correia Zezito (PTB) e Alberto Nery (PT), vice-presidente e presidente da Comissão de Obras, Urbanismo, Infraestrutura Municipal e Meio Ambiente, respectivamente, o adiamento do evento foi em virtude da falta de representantes de prepostos da Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Associação Comercial, vereadores, entre outros interessados no tema.
De acordo com o vereador Alberto Nery, a idéia de realizar a audiência pública foi motivada pelo do fato de que a segurança é frequentemente debatida na Casa da Cidadania. Além de Nery, esteve presente o vereador Correia Zezito (PTB).
Correia informou que uma nova data será marcada para a realização da audiência pública, que, segundo ele, “é de grande relevância para a cidade de Feira de Santana”.
 
O Major PM Lúcio diz que estava preparado para cumprir o papel de informar e contribuir para a população. “A gente não pode desestimular e deixar de trabalhar por conta de uma situação dessas. Esperamos que em breve possa ser remarcada outra data. Não fica nenhum sentimento ruim por não ocorrer essa audiência hoje”, declarou.

Policial civil é assassinado em casa; “esposa é suspeita”

Mário Cesar
 Foi assassinado com um tiro na boca, na noite desta quinta-feira (20/08), o policial civil Mário Cesar Pedreira Filho, conhecido como “Marão”. De acordo com a polícia, a esposa dele, Meire Pedreira, é suspeita de ter atirado na boca da vítima, durante uma discussão, na casa onde os dois moravam, em São Gonçalo dos Campos.

O levantamento cadavérico foi efetuado pela delegada de Feira de Santana, Dorean dos Reis Soares, e pelo delegado de São Gonçalo, Eugênio Filho. 
 
Segundo ela, quando a equipe chegou, o policial estava caído no chão. “Nos deparamos com o corpo dele no chão com um tiro na boca. Localizamos a arma, uma pistola ponto 40 da Polícia Civil, e a apreendemos para ser periciada. É com muita tristeza que digo que a Polícia Civil está de luto. Infelizmente esse crime aconteceu. Foi durante uma briga dentro de casa e a mulher de Marão, Meire Pedreira, deflagrou um tiro que matou o policial”, informou Dorean dos Reis.
Segundo a delegada, Mário Cesar deixou dois filhos de 17 e 24 anos. De acordo com informações de policiais civis, a esposa do policial encontra-se foragida.

PMs prendem dois jovens com celulares roubados em faculdade

Material apreendido
 Dois jovens foram presos na noite desta quarta-feira (20/08), pela guarnição Sertão 30 da 66ª Companhia Independente da Policia Militar (66ª CIPM), acusados de terem roubado diversos celulares nas proximidades da faculdade Unifacs, no Bairro Santa Monica, em Feira de Santana.

A dupla foi presa no bairro Queimadinha. Segundo a ocorrência, os policiais foram informados sobre a dupla e após ronda no local encontraram Cristiano Silva Sobral e um adolescente em uma moto. Com eles foram encontrados nove aparelhos de celular, relógios, correntes e uma quantia em dinheiro não divulgada.
A ação policial contou ainda com o apoio do GPS de um dos aparelhos de celular, que ajudou na localização dos acusados. Os dois foram encaminhados para a Central de Delegacias. 

Diretor da Creche Tio Jonas é preso acusado de abuso sexual

Tio Jonas
 Foi preso no final da manhã desta quinta-feira (20/08), o diretor da Creche Tio Jonas, Jonas Souza de Jesus, de 55 anos, Tio Jonas, diretor da Creche do Tio Jonas, em Feira de Santana, que fica localizada no Parque Brasil, Bairro Mangabeira.

Ele é acusado de ter abusar sexualmente de uma menina de 11 anos. A prisão foi efetuada por policiais civis da Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI), sob o comando da delegada Milena Calmon, que informou que há 20 dias a mãe da criança esteve na delegacia fazendo o registro de ocorrência e que após a informação, a polícia começou a investigar o caso.
 
“Foram colhidos alguns depoimentos e no mesmo dia a criança foi entrevistada por um psicólogo do Cras, onde ela narrou com detalhes o abuso sofrido por duas vezes. Segundo ela, a primeira vez teria ocorrido em uma casa de praia do acusado, em Bom Jesus, e a outra aqui na cidade, quando ela estava aguardando a mãe chegar para levá-la pra casa. Com a demora da mãe, a criança ficou na casa de Jonas e nesse momento ele teria praticado pela segunda vez o abuso. Colhemos algumas provas e foi solicitada a prisão preventiva”, informou.

 
Segundo Milena Calmon, o depoimento da vítima na delegacia foi totalmente compatível com o que foi dito para a psicóloga do Craes (Centro de Recursos de Apoio à Emergência Social). A delegada afirma que o estado emocional da criança chamou atenção quando ela chegou na delegacia com a mãe para registrar a queixa.
 
“É uma menina pequena, indefesa e pra que a gente conseguisse tirá-la do carro do Conselho Tutelar, tivemos que trabalhar por volta de 40 minutos. Ela estava assustada, com muito medo. E foi justamente esse medo que fez com que a mãe desconfiasse e chegasse a essa informação. Ela é aluna desde um ano e meio de vida. Após o abuso ela se recusou a ir para a creche. Ela chorava e gritava para não ir e diante disso, a mãe desconfiou, e a criança acabou falando por que não queria mais retornar para a creche. Para a polícia, o ato de fato ocorreu”, afirma a delegada.
Tio Jonas negou as acusações e disse que está sendo acusado injustamente. Ele afirmou que quem trabalha com criança está sujeito a esse tipo de acusação, mas ressaltou que está com a consciência tranquila e que tudo não passa de um mal entendido.
 
“Nunca fiz esse ato com nenhuma criança. Eu quero dizer que essa mãe pense bem no que fez. Vem até lágrimas nos meus olhos. É a primeira vez que estou passando por isso. Nunca fui preso, nunca cometi crime nenhum. Criança não mente, mas cria. Nunca fiz nada com essa criança que estava na creche desde pequena. Entrego a Jesus e vamos aguardar”, afirmou.
 
Tio Jonas confirmou que a criança realmente não estava indo pra creche e disse que conversou com a mãe para que retornasse a filha pra escola, para que ela não perdesse o benefício Bolsa Família. Ele afirma que, posteriormente, a mãe da menina o procurou pra dizer que tinha perdido o benefício e ele acredita que por esse motivo, ela pode ter feito as acusações.
 
“Chamei a mãe e pedi que ela mandasse a menina pra creche. Ela disse que ia colocar em outra escola. Eu aconselhei a matricular logo para não perder o Bolsa Família. Ela não matriculou e perdeu o benefício. Já fui alvo de uma mãe que pegou a própria filha de criação e disse que eu estava mantendo em cárcere privado. Depois descobri que a mãe da menina estava apaixonada por mim”, relatou.
 
Sobre a acusação do abuso ter ocorrido na casa de praia dele, Tio Jonas disse que há 29 anos sempre leva famílias para passar fim de ano e férias no local e que não leva crianças desacompanhadas.
 
“Nunca tive nenhum problema. Sempre é a família que leva os filhos e não eu. São 29 anos trabalhando, ajudando famílias, tirando crianças da rua, mas como nem Jesus agradou a todos, não será eu que vou agradar”, afirmou.
 
A advogada Luana Dourado, disse que vai entrar com a revogação ou relaxamento da Prisão Preventiva de Jonas Souza. “Na verdade, Tio Jonas é um importante líder comunitário, praticamente fundador de uma Creche que começou com a associação de moradores, essa creche hoje, que é uma creche-escola que tem até o 5º ano do Ensino Fundamental, onde abriga mais de 500 crianças. Tivemos acesso a Jonas, ele nega veementemente, disse que nunca existiu nenhum fato que justificasse esse tipo de acusação, ele desconhece qualquer motivo que tenha levado a mãe fazer esse tipo de acusações, atribui esse fato, a ele. Vamos analisar os fatos com bastante critérios e vamos tomar todas as providencias cabíveis para conseguir a liberdade de Jonas", relatou a advogada.
 
Informações são do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade 

Em dia de visitas, polícia realiza operação no Conjunto Penal de Feira de Santana

Polícia no local
 Está sendo realizada desde o inicio da manhã desta quinta-feira (20/08), uma operação conjunta surpresa organizada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) e Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap), no Conjunto Penal de Feira de Santana, dia de visitas aos detentos.

Não há informações sobre outros órgãos envolvidos e as motivações. A Seap informou que vai falar sobre a ação ao fim do procedimento, que deve acontecer no final da tarde.
 
Revoltados com a ação, os familiares dos detentos da unidade penal protestaram em frente à unidade.  De acordo com o grupo, é dia de visita, no entanto, a entrada delas não foi permitida por conta da revista geral nos pavilhões. 
 
Elas se queixam que não foram avisados do procedimento e que têm informações. A Polícia Militar foi enviada ao local. “A gente quer saber o que está acontecendo lá dentro e ninguém fala, saí meia-noite de Ribeira do Pombal para chegar aqui cedo e não estão deixando a gente entrar”, disse uma mãe de detento. 

Homem é executado com mais de 20 tiros de pistolas na Gabriela

Local do crime
 Alessandro Gonçalves Lima, conhecido como “Fuquinho”, 26 anos, que residia na cidade de Salvador foi assassinado com vários tiros de pistola, no final da tarde desta quarta-feira (19/08), quando se encontrava no bairro Gabriela III, na localidade conhecida como Bica.

Segundo informações, Fuquinho se encontrava nas proximidades da Bica, quando quatro homens montados numa motocicleta de dados ignorados se aproximaram, e os caronas com armas em punho começaram a deflagrar tiros. A vitima ainda chegou a correr para um quintal de uma residência, mas foi perseguido e morto.
 
Os tiros atingiram a cabeça de Alessandro, que não resistiu e morreu no local. Policiais da 65ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) foram ao local imediatamente, mas não conseguiram localizar os atiradores que fugiram tomando rumo ignorado. Uma equipe do Samu foi acionada pelos militares. Sendo que, o médico confirmou que a vitima veio a óbito.
Policiais do Serviço de Investigação da Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP), juntamente com peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT), sob o comando do delegado Carlos Lins, compareceram ao local do crime, onde realizaram o levantamento cadavérico e iniciaram as primeiras investigações.
 
O delegado Carlos Lins informou que, as informações apuradas no local, dão conta de que, Alessandro tinha passagens pela policia por homicídio e trafico de drogas e também, o mesma reside em Salvador e estava aqui (Feira de Santana) escondido. “Pela modalidade do crime, provavelmente foi vingança, já que o mesmo foi morto com vários tiros na cabeça”, finalizou o delegado.

Pastor é morto em carro enquanto espera por filho

Gilberto Gomes
 Um pastor de 41 anos foi morto na manhã desta quinta-feira (20/08), na cidade de Riachão do Jacuípe, a 200 quilômetros de Salvador. De acordo com a polícia, nenhum pertence da vítima foi levado e há suspeita de execução.

Gilberto Gomes Evangelista, 41 anos, foi morto a tiros dentro do próprio carro quando passava no Bairro da Bela Vista. Segundo informações do portal B4, no ano de 2013, Gilberto foi preso por uma equipe de policiais do estado de Pernambuco que veio até Riachão do Jacuípe cumprir um mandado de prisão contra o mesmo. Gilberto Gomes era suspeito de ter cometido um homicídio naquele estado.
Ainda segundo o portal, Gilberto era bastante conhecido na cidade de Riachão, onde residia há mais de 15 anos. Em 2009, o mesmo implantou no bairro do Ranchinho um centro de reabilitação para viciados de drogas e bebida alcoólica. Em 2012 o “Pastor” se engajou na campanha política, trabalhando em carros de som e como cabo eleitoral de uma candidata a prefeita. Ele também fazia parte de uma igreja evangélica da cidade, onde pregava.
 
A polícia ainda não tem informações da autoria e motivação do crime.
 
Informações do portal B4