sexta-feira, 3 de julho de 2015

Inquérito do DHPP conclui que PMs agiram em legítima defesa, ação deixou 12 mortos

Local da ação
 O inquérito do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) sobre a operação policial da Rondesp, que deixou 12 pessoas mortas e seis feridas no dia 6 de fevereiro, na comunidade de Vila Moisés, no bairro do Cabula, concluiu que houve confronto com os suspeitos e os policiais militares agiram em legítima defesa.

O resultado foi apresentado na tarde desta sexta-feira (03/07), na sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP). De acordo com o inquérito, os laudos cadavéricos não mostraram indícios de execução, como lesões típicas de tiros à curta distância.
 
A perícia realizada pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) constatou também que os policias utilizaram 16% da munição que dispunham, realizando 143 disparos das 870 munições disponíveis. Segundo a perícia do DPT, 57 tiros realizados são provenientes das armas apreendidas com os suspeitos.
 
De acordo com o inquérito do DHPP, outro fato que reforça essa conclusão foi o socorro prestado aos feridos, levados para o Hospital Roberto Santos pelos próprios militares. 
 
A reconstituição da ação, realizada pelo DPT no dia 29 de maio, também reforça a conclusão de que as 12 mortes foram resultado de um confronto. A informação vai de encontro à investigação independente do Ministério Público Estadual (MPE), que denunciou nove PMs pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e tentativa de homicídio.
Reconstituição da ação foi realizada pelo DPT no dia 29 de maio.
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)
 
Denúncia do Ministério Público
No dia 12 de maio, o Ministério Público Estadual (MPE) concluiu, em investigação própria, que houve execuções na operação policial realizada pela Rondesp. A apuração, concluída na sexta-feira (12), foi baseada em depoimentos e laudos periciais. 
 
O resultado foi antecipado pelo CORREIO, no dia 2 de abril, com a publicação de informações exclusivas sobre os laudos cadavéricos que traziam, pelo menos, cinco indícios de execução na operação contra suspeitos de fazerem parte de uma quadrilha de assalto a bancos e terminais de autoatendimento. 
 
Segundo o representante do MPE, promotor David Gallo Barouh, no entendimento do órgão, todos os policiais militares envolvidos serão responsabilizados. "Houve um crime e todos serão denunciados", declarou o promotor.
 
A operação foi realizada por guarnições da Rondas Especiais (Rondesp), após receberem uma denúncia de que um grupo de criminosos se organizava para realizar um ataque a um caixa eletrônico na região. 
 
A conclusão do Ministério Público Estadual contraria a versão de que houve um auto de resistência, assim divulgada pela Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA) e confirmada nesta sexta-feira (3) após conclusão do inquérito do DHPP.
Casas vizinhas ao local onde aconteceu a ação foram atingidas pelos disparos.
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

ONGs
A conclusão do Departamento de Polícia Técnica (DPT) foi criticada por entidades de defesa dos Direitos Humanos. O líder do movimento Reaja ou Será Morto, Reaja ou Será Morta, Hamilton Borges, disse que o resultado era esperado, mas garantiu que continuará pressionando para que o caso tenha um "desfecho mais verdadeiro".
 
"É obvio que ia ter esse tipo de resultado, porque o governo resolveu politizar uma questão jurídica. Agora cabe a nós chamar a atenção dos órgãos de defesa dos direitos. Por que eles estão em silêncio? Sobretudo órgãos do próprio governo. Essa foi uma ação racista", disse Borges.
 
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA) afirmou que aguarda uma posição formal para se posicionar. A coordenadora geral da ONG Justiça Global, Sandra Carvalho, criticou a apuração do DPT. Para ela, o resultado não foi isento.
 
"Acreditamos que deve prevalecer a investigação do Ministério Público, por ser uma instituição isenta, ao contrário da polícia. É lamentável que a polícia não tenha mais rigor em suas investigações", comentou. A Anistia Internacional informou que "recolheu relatos de moradores que revelam fortes indícios de execução". 
 
Informações do CORREIO 24 HORAS 

Grupo faz guardas como reféns, atira contra PM e destrói bancos

Banco explodido
 Cerca de 20 homens fortemente armados fizeram quatro guardas municipais como reféns, atiraram contra uma companhia da Polícia Militar e destruíram duas agências bancárias, uma do Bradesco e outra do Banco do Brasil, no município de Filadélfia, a cerca de 355 quilômetros de Salvador. A ação, que durou cerca de 50 minutos, ocorreu na madrugada desta sexta-feira (03/07).

Segundo a 5ª Companhia Independente da PM na cidade, os suspeitos ainda interditaram uma via de acesso a BR-407 com pregos espalhados pelo chão, sentido Senhor do Bonfim a Filadélfia. Os carros que passaram pelo local tiveram os pneus estourados, informou a PM.
Conforme a companhia, os suspeitos estavam a bordo de cerca de três veículos, quando pararam o carro da Guarda Municipal. Após fazer os guardas como reféns, os criminosos se espalharam pela cidade.
 
Ainda segundo a polícia, enquanto um grupo seguiu para os dois bancos, o outro grupo seguiu para a frente da companhia da PM. De acordo com a polícia, os suspeitos efetuaram vários disparos contra a unidade, além de quebrarem vidros de uma viatura com os disparos, impedindo a ação da Polícia Militar. Ninguém ficou ferido. Na agência do Banco do Brasil, um cofre foi explodido e uma quantia em dinheiro levada.
Após a explosão das duas unidades bancárias, os suspeitos fugiram. Os guardas municipais foram liberados após a ação criminosa. Até por volta das 10h30 ninguém havia sido preso.
 
Informações do g1 e foto: Antônio Carlos/Site: Filadélfia em Notícias

Padre sofre acidente na BR-116 e é internado em hospital

Local do acidente
 Um padre ficou ferido durante uma batida com um caminhão no Km-817, da BR-116, em Vitória da Conquista, no sudoeste baiano. De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente aconteceu às 20h da quarta-feira (1).

Ainda segundo a PRF, o padre Gildeir da Silva Santos bateu o carro que dirigia ao sair em uma transversal da via. Após o acidente, o padre foi socorrido por uma equipe da concessionária ViaBahia, que administra a BR-116, e encaminhado para o hospital Samur, em Vitória da Conquista.
 
De acordo com informações do hospital Samur, na tarde desta quinta-feira (2) Gildeir da Silva Santos continuava internado. O seu estado de saúde, no entanto, não foi divulgado. 
 
Informações do CORREIO e foto: Blog Blitz Conquista

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Reduz o numero de homicídios em Feira de Santana

Homicídio
 O balanço do primeiro semestre de 2015, em Feira de Santana, resultou em redução de 28,44% nos Crimes Letais Intencionais (CVLI). No ano de 2014 o primeiro semestre registrou 218 homicídios, em comparação ao mesmo período deste ano, com apenas 156 homicídios.

Com os resultados, o coronel PM Adelmário Xavier, comandante da Região Leste, parabeniza os policiais e seus comandantes das Companhias Independentes, das Bases Comunitárias e Especializadas de Feira de Santana pelo empenho e trabalhos desenvolvidos em prol da segurança pública. Bem como, a ação integrada entre as polícias Civil e Militar.
 
O comandante solicita ainda o apoio da comunidade, com denúncias, através do 190 (CICOM), disque denúncia da Civil (181) e 0800-284-0011, disque denúncia da Ouvidoria Geral do Estado.
 
Dados da Imprensa
A reportagem do Subaé Notícias apresentou a estatística de homicídios registrados no mês de junho de 2015. Com 23 homicídios cometidos, foi verificado aumento na violência em Feira de Santana, com relação ao mesmo período do ano passado.
Mês de junho
2015-23 homicídios
2014- 20
2013-33
2012-32
2011-30
2010-37
2009-25
2008-19
2007-21
2006-19
Segundo a estatística policial, 20 homens foram mortos a tiros, e outros dois por golpes de faca.
 
Uma mulher foi morta em decorrência de espancamento, elevando para oito no semestre. Três menores foram executados no mês passado, aumentando para 14, o número de adolescentes mortos no ano.
 
Ainda segundo a estatística, sete crimes foram praticados por pessoas que se utilizaram de motos para fugir. Três autos de resistência foram lavrados por agentes da polícia civil no ano, e 13 nos seis primeiros meses.
 
Comparação
Já os números de assassinatos no 1º semestre de 2015, em comparação ao mesmo período do ano passado, teve uma grande redução em Feira de Santana. Segundo dados estatísticos do repórter Denivaldo Costa, do programa Subaé Notícias.
As autoridades policiais do município também enfatizaram que os números foram reduzidos, conforme dados da instituição policial.
 
Estatística - 1º semestre de 2015
Nesse período, 146 assassinatos foram registrados no município de Feira, e também ocorreram 13 autos de resistência (troca de tiros entre policiais e bandidos). Houve também 9 mortes no presídio de Feira de Santana, ocorridas durante rebelião.
 
Quatro latrocínios (roubo seguido de morte) marcaram o período, o que gera um total de 172 mortes violentas no ano.
 
Estatística - 1º semestre de 2014
No primeiro semestre do ano passado foram registrados 211 assassinatos no município de Feira, e também ocorreram 19 autos de resistência (troca de tiros entre policiais e bandidos).
 
Sete latrocínios (roubo seguido de morte) marcaram o período, o que gera um total de 237 mortes violentas no ano.
Foram 213 homens mortos nos primeiros seis meses desse ano, sendo 195 vítimas de tiros, e 13 com golpes de arma branca; ou seja, a facadas.
 
O número de menores mortos chegou a 25, enquanto sete mulheres foram baleadas e não resistiram, enquanto um caso foi registrado como vítima de queimaduras e outro homicídio por golpes de faca.
 
Os homens que praticaram assassinatos, e fugiram em motocicletas disparou para 46 ocorrências.
 
Diversos bairros, além de conjuntos residenciais, loteamentos e distritos do município tiveram registros de assassinatos.
 
2013
Já em 2013, foram registrados 153 homicídios, além de 14 autos de resistência.
 
Ainda no mesmo período, quatro latrocínios foram investigados pela Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), o que gerou um total de 171 mortes violentas.
 
De acordo com a estatística, 147 homens foram mortos, sendo 135 vítimas de tiros e quatro com golpes de arma branca. Os números ainda revelam que 11 adolescentes foram mortos, e 9 mulheres faleceram após disparos de arma de fogo. Os homens que praticaram homicídios e fugiram em motos, chegou a 41 casos.
 
2012
Foram registrados 230 homicídios, 11 latrocínios e 5 autos de resistência foram registrados pela polícia no ano de 2012. No total, 246 mortes violentas foram contabilizadas pelo setor de estatística deste blog policial.
 
2011
No ano de 2011, a estatística apontou 165 homicídios, 11 latrocínios e 6 altos de resistência, totalizando 182 mortes violentas.
 
2010
E no de 2010, foram registrados 215 homicídios, 10 latrocínios e 15 altos de resistência, totalizando 240 mortes violentas.

SMTT apreende 16 veículos fazendo ligeirinho no centro de Feira

Veículos apreendidos
 Uma ação conjunta da SMTT (Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito), 64ª Cia da Polícia Militar, Rondesp e a SMT (Superintendência Municipal de Trânsito) resultou na apreensão de 16 veículos, sob a acusação de serem usados no transporte clandestino de passageiros, o popular “ligeirinho”, para bairros da zona leste da cidade, principalmente. Eles estavam estacionados na praça do Nordestino.

De acordo com o secretário Ebenezer Tuy, foi constado que alguns veículos estão com a documentação irregular, problemas nos freios e as condições físicas dos pneus não estão boas, além de que alguns motoristas não são habilitados ou não estão com a CNH em dia. “Eles também estavam estacionados em local não permitido”, acrescenta o secretário.
 
O titular da SMTT ainda disse no período da tarde os fiscais vão continuar verificando a situação dos veículos. A multa para quem for flagrado fazendo “ligeirinho” é de R$ 2 mil, mais a notificação pela transgressão à norma do trânsito que deverá ser paga.
 
Ainda segundo o secretário, populares denunciam que motoristas destes veículos andam armados e intimidam os transeuntes. “As operações para combater este tipo de infração vão continuar sendo feitas periodicamente”, acrescenta o secretário. Ele destacou, também, a participação do major Lúcio, comandante da 64ª Cia. da PM e do major Átila, que comanda a Rondesp local, mais oficiais e praças da PM, e fiscais da SMTT.

terça-feira, 30 de junho de 2015

Empresário de Feira de Santana morre em acidente na BA-233

Local do acidente
 O empresário Murilo Tavares Valverde após sofre um acidente, numa ribanceira às margens da BA 233, que liga BR 324 à cidade de Pé de Serra. Segundo informações de amigos da vítima, ele seguia para um aniversário em uma roça onde morava a sua futura sogra. Murilo saiu da cidade de Feira de Santana, por volta das 15hs deste domingo (28/06) guiando uma moto Honda CB 600cc, esportiva e de alta potencia.

A namorada de Murilo vinha logo atrás em um carro, segundo informações ele tomou distancia devido a velocidade em que viajava, ao passar pelo km 07 da BA, onde tem uma ladeira seguida de uma curva, o mesmo perdeu o controle da moto, pegou o acostamento e se chocou com uma pequena arvore de algaroba, uma “toiçeira” como são mais chamados.
O corpo de Murilo ficou preso a arvore e a moto parou alguns metros depois, da curva até o local do  impacto são cerca de 10 metros, o que demonstra que o mesmo desenvolvia alta velocidade. Amigos que estavam no local disseram que Murilo costumava correr muito. O acidente aconteceu no domingo à tarde, ao perceber a demora da vítima, sua namorada e alguns amigos voltaram para Feira de Santana olhando todo o trajeto para ver se encontrava Murilo, mas com o escuro da noite só na manhã desta segunda-feira  (29) o corpo foi encontrado.
 
Durante a madrugada a família ainda suspeitou de assalto, devido o alto valor da moto que a vítima guiava. Murilo Valverde era filho de Frederico Carvalho, segundo informações, o pai é um empresário muito conhecido em Feira de Santana. A moto que custa cerca de 60 mil reais, foi comprada a cerca de 15 dias, e ainda não tinha placa. O corpo foi encaminhado ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Feira de Santana, a vítima deixa dois filhos.
 
Fotos Raimundo Mascarenhas 

Segundo suspeito de participar da morte de policial em Caldas do Jorro é morto a tiros em Tucano

Matheus era o segundo suspeito da morte do policial Robson
Foi morto a tiros na última segunda-feira dia (29), Matheus Nascimento Santos, de 18 anos. O homicídio aconteceu por volta das 4h50min, na localidade de Queimadas das Abóboras, na zona rural de Tucano.


Segundo informações passadas pela Polícia Militar, o avô da vítima que não teve o nome divulgado, procurou a 2ª Companhia de Tucano, e informou para os policiais, que durante a madrugada, a residência em que ele estava juntamente com o neto e outras duas pessoas, foi invadida por homens encapuzados e armados, que retiraram o rapaz de dentro de casa e o executaram com cerca de três tiros.


Ainda de acordo com a PM, “Têca” como era conhecido, havia sido preso no dia 19 de maio deste ano, portando um revolver calibre 38 municiado, sendo posto em liberdade uma semana depois, mediante pagamento de fiança. Ele era suspeito de ter participado da morte do policial militar José Robson dos Santos Costa, de 41 anos, no último dia 24 de junho, no distrito de Caldas do Jorro, município de Tucano. Soldado Robson, era lotado na Companhia Independente de Policiamento Especializado Litoral Norte – CIPE CAEL, na cidade de Alagoinhas.

Matheus apresentava perfurações de arma de fogo na região da cabeça-sendo uma na parte superior do lado esquerdo da testa, no maxilar inferior, e, outra na face próximo ao nariz.


Policiais Militares, juntamente com agentes da Polícia Civil, sob o comando do delegado titular de Tucano, Paulo José de Oliveira estiveram no local, para da inicio as investigações. O corpo da vítima foi periciado e em seguida removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Juazeiro.